quinta-feira, 19 de novembro de 2015

ESCREVENDO HISTÓRIAS

Eu tive sonhos que não realizei.
Tive ideias que em prática eu não coloquei.
Tive paixões que eu não correspondi.
Tive opções que eu não segui.
Eu tive pessoas que deixei no caminho.
Tive momentos que eu segui sozinho.
Eu perdi pessoas na minha trajetória.
Algumas que ainda me lembro da nossa história.
Outras que só passaram como tempestade.
Dessas não restou nem saudade.
Cometi alguns erros e muitos enganos.
Mas faz parte da vida, nós somos humanos.
Pra algumas coisas eu gostaria de voltar atrás.
Só que o tempo não me permite e eu não sou capaz.
Pra outras eu faria exatamente como eu fiz.
Mesmo que o momento tenha me deixado infeliz.
Às vezes um fato nos parece castigo.
Eu sei, já aconteceu comigo.
Mas depois percebemos que não é.
E que ao invés de cairmos, nos mantemos em pé.
Com altos e baixos a gente segue lutando.
Em alguns instantes até capengando.
Por alguns momentos a gente para, noutros a gente corre.
Se não nos movimentarmos, a gente morre.
Já morre por dentro quem desiste da vida.
Pois por mais difícil que seja, sempre há uma saída.
Às vezes lembro-me de uma frase de um de meus poemas.
E com ela me inspiro pra enfrentar os problemas.
"Esqueça as feridas dos teus pés e siga adiante,
você ainda tem os pés e um longo caminho, avante!"
É Nossa história que nós vamos escrever.
Pra que nossos filhos e os filhos deles possam saber.
Por isso ela deve ser bela mesmo sendo triste.
Pra mostrar a eles que o caminho de rosas não existe.
Sem luta, fé e trabalho, não se obtém glória.
Sem amores, tristezas e alegrias, não se faz história.
Durante a vida é um roteiro que a gente vive pra escrever.
E o filme só termina no dia que a gente morrer.

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

QUANDO A GENTE GOSTA

Quando a gente gosta, qualquer distância é curta.
Quando a gente gosta, deslocar-se é exercício prazeroso.
Quando a gente gosta, caminhos tortuosos se tornam um arco íris com final no pote de ouro.
Quando a gente gosta, cada ida é um encanto e cada chegada uma magia.
Quando a gente gosta, o tempo é inimigo quando se está junto e quando não está, pois passa rápido no primeiro e devagar no segundo.
Quando a gente gosta, a pele gruda e os pêlos se entrelaçam.
Quando a gente gosta a troca de saliva mata a sede de paixão e o beijo acende o desejo carnal.
Quando a gente gosta, é foda.
Ficam no pensamento os momentos, os olhares, as carícias e enfim, é incrível.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

CAMINHOS DISTINTOS

Como as estações se alteram deixando cada uma sua presença
Ora frio, ora calor, ora uma paisagem de cores pastéis, ora de colorido intenso.
As pessoas passam por nossas vidas da mesma forma.
Cada uma deixando um momento sequer que seja.
Seja ele de aprendizado, de alegria, de tristeza e até de magia, mas uma marca.
Você passou por mim assim, deixando suas marcas.
Me apaixonei por você, e acho que cheguei a te amar.
Não posso garantir, pois talvez minha mente não me deixe mais decifrar tal sentimento.
Eu só sei que adorava estar com você.
Olhar no fundo dos teus olhos e sentir o que eles me transmitiam, e adorava ainda mais as suas bordas.
Era encantador, era hipnotizador, o sorriso que ele transmitia.
De todos os que colecionei, nenhum me encantou quanto o seu.
Me faziam até esquecer que às vezes tinha um imenso mau humor.
Que as vezes fazia coisas que eu não gostava.
Lembro que te disse pra se amar mais do que a mim.
Você precisava muito disso.
Entendeu errado e se fechou.
Fomos nos fechando um com o outro.
Como um bolo ao forno, que começava a crescer, murchou com a abertura da porta.
Ainda era delicioso por dentro, mas já não teria mais a mesma beleza externa.
Apenas a habilidade refaria a beleza do bolo, mas não soubemos ser confeiteiros.
Nunca escolhemos uma música, não é? Escolhemos pelo menos, apelidos carinhosos.
Nos divertimos bastante simplóriamente e sempre foi bom de mais.
Nos ajudamos de diferentes formas e em vários sentidos.
E em algum tempo, espaço e lugar, éramos ideais um ao outro.
Mas no fundo tínhamos enormes diferenças.
Aprendi demais contigo mocinha e embora não me sinta mais no direito de chamá-la como chamava.
Será assim que a guardarei pra sempre em um espaço no meu coração. 
Já não nos falamos mais e não é portanto nenhuma despedida.
Talvez um texto tardio relatando o que me fazia sentir.
Serei sempre alguém que lhe quer bem, torcendo pra que seja feliz.
Que encontre um pai pra filhos teus e ele te coroe como mulher.
Acho que era isso que gostaria de ter tido de mim, quando mesmo brincando me pedia pra te fertilizar.
Você merece isso. Você terá isso. 
Seja muito feliz "neguinha".
É isso que devemos ser, seguindo caminhos distintos. 
Cada um a seu jeito. Cada um no seu tempo.