sábado, 9 de maio de 2009

MINHA BUSCA EM VERSO E PROSA

Que nada me impeça de ver meu amor.
Pois atravesso tempestades se preciso for.
E se a chuva causar uma enchente.
Atiro-me nela e nado contra a corrente.
Vou chegar molhado, mas eu vou chegar.
E no dia marcado, você pode esperar.
A distância que nos separa não mais existe.
Nosso sentimento é forte e resiste.
Agora nada mais nos separa.
Tu vai ter que me aturar, te prepara.
Procurei por muito tempo, e em vários lugares.
Caminhei por desertos, atravessei os sete mares.
Perdido, sem eira nem beira.
Tomando sol, comendo poeira.
Meus pés descalços, maltratados pelo terreno.
Meu corpo suado, meu semblante sereno.
Segui para o leste, guiado pela esperança.
Conheci muita gente nesta minha andança.
Fui parar em uma cidade, em outra paragem.
E ali, eu terminei minha viagem.

Nenhum comentário: